Saúde alerta sobre proliferação do mosquito Aedes Aegypti no período chuvoso

Saúde alerta sobre proliferação do mosquito Aedes Aegypti no período chuvoso

No ano passado foram confirmados oito óbitos em seis municípios do Estado.

O Tocantins inicia o ano com alto risco de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti, em decorrência do período chuvoso na região. No ano de 2019, segundo o Mistério da Saúde, o estado liderou o ranking no país nos casos de dengue, devido a proliferação do mosquito por conta das mudanças climáticas.  No ano passado foram confirmados oito óbitos em seis municípios do Estado:  Lajeado, Miracema, Palmas, Paraíso, Lizarda e Aragominas.

Segundo a secretária de Saúde, Eliane Lima, já nesse ano surgiu algumas suspeitas de casos de pessoas com dengue no município de Lajeado. “Tivemos dois casos, mas nenhum teve o resultado positivo. Não podemos deixar de pedir para que a comunidade se certifique que não tenha água parada em suas residências, porque é a principal maneira de se proteger e eliminar focos do mosquito”, pontuou.

Alguns dos fatores que podem contribuir com a proliferação do mosquito transmissor são o acúmulo de água em recipientes como vasos de planta, piscinas, pneus, tampinhas de garrafas e até bebedouros de animais, caso não sejam higienizados adequadamente. A falta de saneamento básico e o acúmulo de lixo podem contribuir bastante com reprodução do mosquito.

Vale ressaltar que o ser humano é contaminado pela fêmea do mosquito, elas picam para amadurecer seus ovos, que em condições favoráveis, leva um período de 10 dias para o surgimento do mosquito. Diante da compreensão do clico de vida do mosquito, é possível entender a necessidade de combater os criadouros, principalmente com a chegada do verão e do período chuvoso no Estado.

Sintomas

De acordo com dados do Ministério da Saúde, os sintomas podem aparecer de forma mais leve ou grave. São indícios da doença: febre alta, dor de cabeça, dores nas articulações do corpo, dor atrás dos olhos, vômitos, fraqueza, manchas vermelhas na pele, entre outros. Caso seja apresentado algum desses sintomas, é preciso buscar o diagnóstico para a realização do tratamento.

 

Por Amanda Mitaly


Imprimir