Notícias

Coronavirus muda programação da Semana Santa em Lajeado

Coronavirus muda programação da Semana Santa em Lajeado

Desde que a pandemia do coronavírus teve início, a Paróquia Nossa Senhora Mãe da Divina Providencia tomou medidas para estar mais próxima não só daqueles que precisam de ajuda, mas também de seus benfeitores, voluntários e amigos. Embora a proximidade física não seja possível, a espiritual é.

Frei Rogério Constantino explicou como estão sendo realizadas as celebrações neste período. “Em virtude desta situação de pandemia, a igreja está realizando suas celebrações em horários já estabelecidos a única diferença é que não podemos contar com a presença de fiéis na igreja, por isso resolvemos transmitir nossas atividades pelas redes sociais e pela Rádio Comunitária Lajeado FM”.

Além das celebrações desta Semana Santa, estava prevista para acontecer nesta Sexta Feira a apresentação teatral da Paixão de Cristo, no início do ano a igreja selecionou os atores e teve início aos ensaios. Mas por conta da pandemia do Coronavírus a Via Sagra da Paixão de Cristo não acontecerá.

Confira a programação para este final de semana:

 

- Sexta Feira Santa (10/04/2020) às 15:00

- Sábado Santo (11/04/2020) às 19:00

- Domingo de Páscoa (12/04/2020) às 19:00

 

Todas as celebrações serão transmitidas pelas redes sociais (Facebook: Frei Rogério Constantino) e Rádio Comunitária Lajeado FM.

 

Em razão a complexa situação gerada pela pandemia do coronavírus (Covid-19), considerando o Decreto n.º 6.072 de 21 de março de 2020 de declaração do estado de calamidade pública em todo o território do Estado do Tocantins; o Decreto da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, da Santa Sé, Prot. n. 153/20, além do disposto no Cân. 381, § 1, que afirma “ao Bispo Diocesano compete todo o poder ordinário, próprio e imediato, que se requer para o exercício do seu múnus pastoral” e considerando ter ouvindo os presbíteros da Arquidiocese de Palmas, para o bem espiritual e material do povo de Deus, o Arcebispo Metropolitano de Palmas, Dom Pedro Brito Guimarães, expediu um decreto sobre a liturgia durante a semana santa.

1º: Que o Domingo de Ramos seja celebrado sem procissão e sem a presença do povo;

2º: Que a Missa do Crisma ou da Unidade, marcada, inicialmente, para o dia 08 de abril, está cancelada e que uma outra data será definida posteriormente;

3º: Que na Quinta-feira Santa, a Missa da Ceia do Senhor, à tarde, seja celebrada somente com a presença de uma pequena equipe de celebração, estritamente necessária, e guardados os devidos cuidados de higiene. O lava-pés, já facultativo, seja omitido. No final da Missa, omite-se a procissão e o Santíssimo Sacramento seja conservado no Sacrário;

4º: Que a Sexta-feira Santa seja celebrada sem a presença física dos fiéis. E na Oração Universal, acrescente-se a seguinte intenção especial: Oração pelos doentes, pelos defuntos e por aqueles que sofreram alguma perda: “Oremos, irmãos e irmãs, por todos os enfermos em decorrência da pandemia do coronavírus em todo o mundo, bem como todos os que já faleceram, e por todos aqueles que perderam seus entes queridos nesse momento de tribulação. Oração: Deus eterno e todo-poderoso, conceda o alívio e cura a todos os doentes infectados pelo novo Coronavírus, anime os que deles cuidam, aos falecidos dê o repouso eterno e brilhe para eles a Vossa luz. Aos que sofrem a dor da perda sejam consolados com a certeza de que um dia nos encontraremos todos em Vossa casa. Por Cristo, nosso Senhor. Amém” (cf. Missal Romano, pág. 255, n. 12);

5º: Que Sábado Santo, na Vigília Pascal, acende-se Círio Pascal, sem a benção do fogo. Omite-se a liturgia batismal, apenas se renova as promessas batismais e segue a liturgia eucarística;

6.º: Que no Domingo de Páscoa, seguem-se as missas como vem sendo celebradas, sem o povo;

7º: Que as Missas Semanais e Dominicais continuem sendo celebradas de portas fechadas, sem a presença do povo, exceto de uma pequena equipe de celebração. E de acordo com as condições das Paróquias essas celebrações sejam transmitidas pelos Meios de Comunicação Social: TV, Internet, Rádio e Mídias Digitais ou assistidas pelas redes de TVs e Rádios. Que os fiéis sejam motivados a fazer a Leitura Orante da Palavra de Deus, a rezar em suas próprias casas, orações como o Terço, a Via-sacra, o Ofício de Nossa Senhora e outras práticas de devoção e de piedade popular;

8º: As celebrações principais da Semana Santa serão presididas por mim, na Catedral de Palmas, com as mesmas restrições em vigor. “Cristo, nosso Cordeiro Pascal, foi imolado. Assim celebremos a festa não com o velho fermento da maldade ou da iniquidade, mas com os pães sem fermento da sinceridade e da verdade” (1Cor 5,8).

Dom Pedro Brito Guimarães recomenda aos fiéis que continuem, sem desanimar, todos unidos, num só coração e numa só alma, na mesma missão. “Que o Divino Espírito Santo, nosso Padroeiro, nos inspire, palavras e ações, para vivermos uma Semana Santa, cheia de luz e de graça e de muitos sinais de Vida e de Ressurreição”, conclui.

Sexta Feira Santa

Sexta Feira Santa

Neste dia, Sexta-feira Santa, que os antigos chamavam de “Sexta-feira Maior”, quando celebramos a Paixão e Morte de Jesus, o silêncio, o jejum e a oração devem marcar este momento. Ao contrário do que muitos pensam, a Paixão não deve ser vivida em clima de luto, mas de profundo respeito e meditação diante da morte do Senhor, que, ao morrer, foi vitorioso e trouxe a salvação para todos, ressurgindo para a vida eterna.

É preciso manter um “silêncio interior” aliado ao jejum e à abstinência de carne. Deve ser um dia de meditação, de contemplação do amor de Deus, que nos “deu o Seu Filho único para que quem n’Ele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3,16). É um dia em que as diversões devem ser suspensas, os prazeres, mesmo que legítimos, devem ser evitados.

Uma prática de piedade valiosa é meditar a dolorosa Paixão do Senhor, se possível, diante do Sacrário, na Igreja, usando a narração que os quatro evangelistas fizeram.

 Prefeitura de Lajeado doa alimentos da merenda escolar para alunos carentes

 Prefeitura de Lajeado doa alimentos da merenda escolar para alunos carentes

Foram doadas o total de 121 cestas, 61 montadas com o estoque da merenda escolar e 60 que foram fornecidas pelo Governo do Tocantins.

A prefeitura de Lajeado determinou por meio do decreto nº 044/2020, a distribuição dos alimentos da merenda escolar às famílias dos estudantes que estão com as aulas suspensas por conta da pandemia do novo coronavírus. Foram beneficiadas 121 famílias que vivem em situação de vulnerabilidade e que são inscritas em programas de assistências sociais.

A ação foi realizada pela Secretaria de Educação, que ficou responsável pela distribuição dos itens da merenda escolar disponível em estoque, enquanto a Secretaria de Assistência Social tomou as providências administrativas e operacionais para a entrega dos alimentos. A doação foi dividida para que atendesse famílias dos estudantes das três unidades de ensino do município: Escola Municipal Sebastião de Sales Monteiro, Escola Juscelino Kubitschek e o Centro Educacional Infantil.

A secretária de Educação, Luiza Brasileiro, conta sobre a importância da ação. “Nesse momento de pandemia em razão da Covid-19, tendo em vista a suspensão das aulas e as férias dos profissionais da educação, o estoque de merenda escolar foi transformado em cestas básicas. Não justificaria deixar os alimentos vencerem e não atender as famílias dos nossos estudantes”, ressalta.

“A ação se deu em conjunto com o Conselho de Alimentação Escolar (CAE) e a entrega foi efetivada pela Assistência Social. Nosso desejo seria contemplar todos os estudantes, mas só foi possível montar 61 cestas. O critério se deu na atenção aos que se encontram em situação de maior vulnerabilidade social”, completa a secretária.

A prefeitura informa que os kits são compostos por arroz, feijão, açúcar, macarrão, óleo de soja e sardinhas. A seleção para a doação foi necessária porque a Secretaria de Educação não dispõe de estoque suficiente para atender todas as famílias.

 

Por Amanda Mitaly